anunciopost1




Mudanças nas diretrizes do YouTube para monetização podem acabar com novos e antigos canais nos próximos anos



Sabe quando algo não está certo, pois é, as diretrizes do YouTube a cada ano que passa acabam por desmotivar seus criadores, a empresa acaba sempre entrando no "politicamente correto" e isso para muitos canais acaba sendo um famoso "tiro no pé" até porque muitos canais famosos hoje cresceram simplesmente por não serem politicamente corretos.

Casos como Cauê Moura, Rafinha Bastos, Mauricio Meirelles, Nando Moura, PC Siqueira entre tantos outros sempre não ligaram para serem politicamente corretos, e fizeram sucesso da sua maneira, atingindo milhões de inscritos, e milhões de views em seus canais.

Ao acompanhar um pouco melhor as novas diretrizes achei um site legal onde detalha muito bem todo o processo, o blog vidmonsters.com, ele mostra desde antes de 2017, quando a empresa YouTube começou a mudar suas diretrizes, enfim para entender como funciona o processo de monetização no YouTube, ler a postagem vai te ajudar muito a entender, porém irei de forma resumida colocar as mudanças que realmente afetam possíveis futuros criadores de conteúdo.




Leia também:

E3 2019 - Datas e horários das Conferências

Por uns bytes de memória... por Gus Morais

Mudanças em 2017:



  • Mudança na elegibilidade do Partner Program;

A monetização no YouTube só seria possível para os canais que tivessem mais de 10 mil visualizações em seus vídeos.


  • Avaliação mais exigente pelo Youtube para evitar trapaça em aumento de inscritos e visualizações;

Canais passaram a ser penalizados na validação do YouTube, evitando assim visualizações compradas e posteriormente inscritos comprados.


Mudanças em 2018:


  • Analise mais criteriosa do Canal e do conteúdo do Canal;

Enfim em vez de analisarem apenas o número de visualizações dos vídeos, serão considerados dados como tamanho do canal, engajamento da audiência e comportamento do criador de conteúdo na rede social.


  • Mínimo de inscritos e horas de conteúdo assistidos;

Somente os canais com, no mínimo, 1 mil inscritos e 4 mil horas de conteúdo assistidos nos últimos 12 meses serão validados para o programa de monetização da empresa.


  • Revisão manual para analise de conteúdo;

A plataforma passará a revisar manualmente todas as violações de regras, casos de spam e denúncias feitas por usuários.




Resumindo, a plataforma que já ajudou muitos criadores de conteúdo a sair da estaca zero e conseguir dinheiro para se aperfeiçoar e melhorar ainda mais seu conteúdo, esta tentando dificultar ainda mais, e fazer da criação de conteúdo para a plataforma do YouTube um hobby e não uma profissão, por isso vemos criadores gigantescos como Felipe Castanhari abandonando a plataforma e postando cada vez menos videos.

Me siga nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Postar um comentário

0 Comentários